Pesquisadores de Israel descobriram que os mesmos alimentos podem ter efeitos opostos na saúde de pessoas diferentes

Sabe aquela dieta que todos seus amigos já fizeram, e só não funciona com você? Pois é, talvez a ciência esteja começando a explicar porque isso acontece.

Pesquisadores do Instituto Weizmann da Ciência, em Israel, descobriram que a forma como pessoas metabolizam os mesmos alimentos pode variar tanto que os resultados chegam a ser opostos. Uma mesma refeição pode ser supersaudável para a Maria, mas destruir a saúde do João.

Sabe aquela dieta que todos seus amigos já fizeram, e só não funciona com você? Pois é, talvez a ciência esteja começando a explicar porque isso acontece.

Pesquisadores do Instituto Weizmann da Ciência, em Israel, descobriram que a forma como pessoas metabolizam os mesmos alimentos pode variar tanto que os resultados chegam a ser opostos. Uma mesma refeição pode ser supersaudável para a Maria, mas destruir a saúde do João.

A informação pode nem parecer tão importante à primeira vista, mas é. Dietas, em geral, são baseadas em valores nutricionais padrão, números que caem por terra com esse novo fato. A solução agora é monitorar o sistema de cada pessoa e indicar dietas específicas. E foi exatamente isso que os pesquisadores fizeram para provar sua teoria.

Durante uma semana, eles monitoraram a cada cinco minutos o nível de açúcar no sangue de participantes, com base nesses dados os cientistas formularam dietas boas e ruins para cada participante. O curioso é que alimentos que apareciam na lista benéfica de alguns dos estudados, figuravam na lista não recomendada de outros tantos. É o caso do sushi, que em alguns metabolismos liberava mais açúcar do que sorvete.

O resultado da pesquisa pode até ter um efeito social. “Depois de ver esses dados, penso sobre a possibilidade de estarmos com pensamentos conceitualmente errados à respeito das epidemias de obesidade e diabetes”, afirmou em declaração Eran Segal, um dos responsáveis pela pesquisa “A impressão geral é de que nós sabemos como tratar esses problemas, e que as pessoas não estão ouvindo ou se controlando na hora de comer – mas talvez as pessoas são obedientes mas em muitos casos estamos dando os conselhos errados”, completa.

Fonte: Super interessante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *